Jardins de Monet em Giverny | História & Beleza

0

Os Jardins de Monet em Giverny são um sonho da maioria dos turistas que visitam Paris. Se todos os encantos da cidade luz não são suficientes para satisfazer a sua sede de beleza e de história, os arredores de Paris reservam descobertas que irão ti deixar, no mínimo, encantado. Uma das opções mais bonitas que vale a pena visitar são os Jardins de Monet na pequena cidade de Giverny. Fazer com que o visitante se sinta dentro de uma pintura é a missão desde pequeno refugio nos arredores de Paris.

A casa de Claude Monet é uma verdadeira joia de cores . Giverny foi o paraíso de Monet até a sua morte em 1926. Além de seu local de residência, foi também um local de grande inspiração.  Hoje você pode visitar a casa de Claude Monet decorada de acordo com seus gostos. É um ótimo passeio bate e volta desde Paris.

JARDINS DE MONET EM GIVERNY

História dos Jardins de Monet

Claude Monet descobriu Giverny enquanto procurava uma casa longe de Paris. Foi antes de seu segundo casamento que Monet adquiriu sua propriedade na cidade, que contava com um amplo espaço verde completamente transformado pelo trabalho de jardinagem do próprio pintor.

Giverny ficou famosa por se tornar refúgio do pai do impressionismo. Claude Monet viveu na propriedade entre 1883, até a sua morte em 1926. Gradualmente a propriedade é abandonada. Não foi até 1977 que um vasto plano foi lançado para reabilitar o local. A Fundação Monet abriu suas portas em 1980, graças ao apoio de clientes americanos.


LEIA TAMBÉM :


Foi lá, em 1869, que Claude Monet pintou sua série de obras mais famosa, a “Nenúfares”. Uma série de pinturas que retratam os jardins, construídos por ele em sua propriedade. Foi com essa série de pinturas, que Monet teve seu reconhecimento tardio como gênio da arte e difundiu sua técnica onde as pinceladas rápidas criavam um efeito de iluminação inigualável.

A primeira vista, bem de perto, as obras do impressionismo iniciado por Monet, mais parecem borrões na tela, mas quando é apreciada a uma certa distancia, a obra se revela rica em texturas e detalhes.

Como é a Visita aos jardins de monet

O jardim onde Claude Monnet pintou algumas de suas obras mais famosas, como Les Nymphéas é um conjunto de caminhos floridos, jardins e lagoas. Ao pé da casa, estende-se a paleta de cores dos jardins de Monet. Apaixonado por jardinagem, Monet nunca parou de transformar e embelezar o jardim. 

mapa da casa e jardim de Monet

Para ver o mapa dos Jardins de Monet e Casa em tamanho maior, clique aqui.

Os jardins são decorados com arcos de metal e milhares de flores adornam os corredores. Do outro lado, o lago está representado em muitas pinturas do artista. Inspirado pelas estampas que tanto ama, uma ponte japonesa é instalada e plantas orientais são plantadas.

não perca tempo nas filas

É aconselhável comprar os ingressos antecipadamente para evitar a fila. Para a sua praticidade, já compre trem de Paris + ingressos

Flores dos Jardins de Monet

Um festival de flores cuidadosamente organizado invade o campo à medida que as estações mudam, e as composições mudam de acordo com o período da floração. Assim, em abril, as tulipas florescem ao sol, acompanhadas dos pensamentos, das papoulas e depois das peônias. Os canteiros são cada mês mais coloridos! No final da temporada, o beco central é invadido por diversas flores que são um encanto , enquanto a casa é cercada por gerânios vermelhos brilhantes.

jardim da casa de Monet
jardim da casa de Monet

A cada estação, você vai redescobrir o jardim de outra forma. Monet se preocupou em plantar flores e árvores que florescessem em diferentes épocas do ano, para os jardins ficarem o máximo de tempo floridos. Apenas alguns corredores estão abertos, a visita permanece agradável, apesar do fluxo diário de visitantes. 

jardim da casa de Monet
bambus de Monet

Não tem como não se encantar com as perspectivas das flores, a precisão dos desenhos deste jardim que parece não ter regras. A variedade de plantas e flores de origens diferentes impressiona pela beleza e pelas cores, não é a toa que a paisagem inspirou as principais obras de Monet.

Dependendo de quando você for visitar, essas são as flores que você encontrará:

  • Abril: cerejeiras, tulipas, margaridas, narcisos, jacintos
  • Maio: peônias, azaleias, gerânios, íris
  • Junho: lavandas, rosas, gerânios
  • Julho: cravos, papoula, rosas
  • Agosto: dálias, lírios, verbenas, crisântemos
  • Setembro: girassóis, hibiscos, rosas, camomilas
  • Outubro: crisântemos, dálias, verbenas

calendário de flores está disponível no site da Fundação Monet. Os jardins de Monet são bem movimentados durante o dia. Visitar pela manhã é essencial para conseguir boas fotos neste local tão icônico. Mas se você não se importa com muitas pessoas participando das suas fotos, vá quando puder.

Lagoa dos jardins de monet

Uma das estrelas do local é a belíssima lagoa que abrilhanta ainda mais os jardins de Monet. O local em volta da lagoa foi projetado pelo próprio pintor, que criou um ambiente típico oriental mas com um toque pessoal. Ele mesmo plantou diversas plantas de origem oriental, como bambu e cerejeiras. A ponte japonesa completa a paisagem com um toque romântico todo especial. É como se fosse o jardim encantado, idealizado pra satisfazer a mente do artista, onde é fácil identificar o cenário de telas vistas nos museus.

Ponte Japonesa Monet
Foto Shutterstock | De Oleg Bakhirev

Não deixe de apreciar a ponte com vista panorâmica do lago. É daqui que as famosas pinturas de Monet foram pintadas, às quais ele deve uma parte de sua fama. Do lago emerge um sentimento de serenidade, onde a beleza da natureza exige contemplação. Portanto, é fácil entender o apego visceral do pintor a esse jardim que o inspirou até o fim de sua vida, mesmo quando ele ficou quase cego.

Lagoa na casa de Monet
Foto Shutterstock | De Oleg Bakhirev

O lago é invadido por folhas de nenúfares, que se você for visitar os jardins de Monet na primavera, elas ainda não nasceram. No início de maio, a ponte fica coberta de glicínias suntuosas que invadem seu telhado, como uma fonte roxa que derrama sobre os pilares verdes da ponte. Por outro lado, é em agosto que finalmente podemos apreciar os nenúfares, que flutuam no lago. Cada estação dá uma nova razão para revisitar este jardim e as obras de Claude Monet. As cores e perspectivas são infinitas.

Foto Shutterstock |  De Eric Valenne geostory

Essa diversidade está na imagem dos jardins de Monet, que oferece cantos muito diferentes para todos os gostos. Você pode se perder entre as flores, na beira da logoa ou nas pontes, na sombra sob um salgueiro-chorão, ou ainda na beira do riacho no meio dos bambus. Todo mundo encontrará o seu lugar especial nos Jardins de Monet!

Jardins de Monet

A residência de Monet

A antiga casa onde Claude Monet viveu metade de sua vida, foi doada por seu filho, em 1966, a Academia de Belas Artes Francesa, dando assim vida a Fundação Claude Monet. Toda a propriedade e acervo passou por uma ampla restauração, sendo aberta ao publico em 1980. E nos deu a oportunidade de caminhar por várias locações retratadas pelo pintor, visitar a casa onde ele viveu e inclusive seu local de trabalho e criação.

Fachada da Casa de Monet

Na entrada do jardim você já avista a casa rosa com suas persianas verdes brilhantes. O arco de metal que leva até a porta da casa é um dos ponto mais lindos e surreais da propriedade. O perfume e a variedade de cores é de deixar qualquer um encantado com o lugar. Esta casa atípica tem dois andares, e você poderá visitar alguns cômodos como a cozinha, a sala de jantar, mas também o atelier do pintor. No andar de cima estão os quartos da família Monet.

Quarto da Casa de Monet

Você vai descobrir um interior colorido, com um piso coberto com belíssimos azulejos. Os cômodos preservam elementos originais como decoração e mobília, tudo restaurado e super preservado, dando uma sensação vivida ao ambiente. Nas janelas, as pequenas cortinas dão uma aparência de casa de campo a esta casa cheia de charme. 

Vista da Janela Monet

Você pode começar a visita pelo atelier de Monet. Esta sala enorme também abriga uma pequena sala de estar e uma grande janela que deixa entrar muita luz natural. Hoje, suas paredes estão cobertas de reproduções das pinturas de Monet, como durante sua vida.

Atelier de Monet

No topo da escada, descobrimos o quarto de Monet, decorado com uma incrível coleção de obras de seus amigos pintores. Renoir, Cézanne e Berthe Morisot estão nas paredes, além de uma vasta coleção de arte oriental. O quarto também oferece uma vista suntuosa dos becos do seu adorado jardim. Ao longo dos corredores e salas de estar, também é possível admirar as muitas gravuras japonesas que refletem o fascínio de Monet por Hokusai ou Hiroshige.

Quadros de Monet

O final da visita nos leva aos cômodos mais surpreendentes da casa. Sua sala de jantar em canário amarelo é uma oportunidade para exibir novas gravuras e uma coleção incrível de pratos. 

Sala de Jantar de Monet

Ao lado, sua encantadora cozinha azul é mundialmente famosa. Eu mesma queria uma igual para mim. Esta peça poderia ser facilmente uma pintura. Os pequenos azulejos azuis que cobrem as paredes contrastam com os utensílios e pratos de cobre alinhados nas prateleiras. 

Quanto tempo para visitar os jardins de monet

A visita à casa e aos jardins de Monet leva de 1h30 às 2h. É proibido fazer piquenique no local. Mas se você vem de carro, pode facilmente passar o dia em torno de Giverny para explorar a paisagem e as margens do Sena.

Melhor ÉPOCA para visitar os Jardins de Monet

A Fundação Claude Monet fica aberta de abril a novembro, assim como as linhas de ônibus entre Vernon e Giverny. As atrações não abrem durante o inverno devido ao frio e a falta das flores nos jardins, principal atrativo do passeio. O ideal seria planejar a visita para o mês de maio e aproveitar o ápice da primavera europeia, quando é possível apreciar os jardins em sua florada máxima. Durante o mês de abril o movimento é bem baixo, mas os jardins ainda não floresceram totalmente. O mesmo ocorre no fim de novembro, quando as plantas já sofrem com o frio, prejudicando o visual.

Informações PRÁTICAS

Em 2019, a Fundação Claude Monet estará aberta diariamente, de 22 de março a 1º de novembro de 2019, das 9h30 às 18h. A a última admissão é às 17h30. Depois desse horário ninguém mais entra.

Animais não são permitidos.

Visite também o Museu Impressionista em giverny

A poucos passos da casa de Monet está o Museu dos Impressionistas. É uma ótima maneira de conhecer um pouco mais da vida de Monet. No museu você encontrará uma exposição permanente sobre Claude Monnet. A influência do pintor sobre seus contemporâneos e as gerações que o sucederam. Duas exibições temporárias são oferecidas ao longo do ano, sobre temas relacionados aos pintores impressionistas. O museu está aberto do final de março ao início de novembro. Mais informações você encontra no site do museu: http://www.mdig.fr/fr.

Museu do Impressionismo : aberto das 10h às 18h – entrada 7 € 50 (5 € para jovens e estudantes)

Se você quiser descobrir as mais belas pinturas de Monet, recomendo o Musée d’Orsay, o Musée l’Orangerie (das fotos abaixo) e o Musée Marmottan-Monet, todos os três em Paris. 

Nenúfares de Claude Monet
Foto Shutterstock | De Isabelle OHara
Nenúfares de Claude Monet
Foto Shutterstock |  De Kiev.Victor

O que ver em Giverny

Além das atrações da fundação Claude Monet é possível se deslumbrar com o jeitinho singular da pequena vila de Giverny. As casas floridas com jardineiras nas janela, as ruas estreitas que mais parecem cenário de história infantil e todos os pequenos detalhes que fazem dessa pequena cidade tão charmosa. Na rua principal existem vários cafés e restaurantes encantadores, além de lojinhas de souvenir dedicadas a produtos com gravuras do impressionismo.

Outras visitas a Giverny incluem:

  • O antigo hotel de Baudy, onde grandes pintores se conheceram no início do século XX;
  • A igreja Sainte-Radegonde e o túmulo de Claude Monet;
  • O Museu de Mecânica Natural, com maquinaria agrícola antiga do início do século XIX, ainda em operação;
  • Muitas oficinas de pintura e galerias de arte na vila.
Túmulo de Claude Monet

O vale dos impressionistas

Se Giverny merece um bom dia para visitar, também é porque o seu ambiente é muito agradável. Não deixe de se perder nas pequenas estradas do Eure de seu vizinho Val d’Oise. Estradas estreitas e às vezes sinuosas, elas atravessam rios, ao longo de campos e pequenas vilas. O passeio reserva surpresas agradáveis! Eu recomendo, uma pequena parada no charmoso Moinho de Fourges. Este moinho do século XVIII, localizado à beira do Epte, é uma das surpresas da região.

Moulin de Fourges

Logo ao lado de Giverny, encontramos o Sena serpenteando pelo interior da Normandia. Os passeios ao longo do Sena são muito agradáveis ​​e também podem ser uma oportunidade para um piquenique ou atividades como canoagem. Em Vernon, você pode fazer uma parada no meio da vegetação e descobrir em particular outro moinho muito bonito, mais antigo. A vista da ponte que atravessa o Sena é um pequeno cartão postal!

Para você ganhar tempo, pode ser interessante visitar Giverny e Versailles no mesmo dia. Muitas pessoas não tem muitos dias sobrando, então optar pelo passeio conjugado pode te poupar tempo e dinheiro.

La Roche-Guyon

A vila de Roche-Guyon está localizada a apenas 10 minutos de Giverny, no coração do parque regional de Vexin. La Roche-Guyon também é uma surpresa muito agradável, mas mais pelo seu castelo incrível do que pelo resto da vila. O destaque da vila é o seu castelo, realmente atípico. Aninhado no penhasco e com uma vista bela para o Sena.

Castelo La Roche-Guyon

Fiquei impressionada com sua impressionante fachada e sua masmorra antiga empoleirada no penhasco. Dentro do castelo, você pode descobrir a história do lugar, as salas de seus antigos proprietários e algumas galerias. A visita se estende fora, na enorme horta histórica.

Castelo La Roche-Guyon
Foto Shutterstock | De Francois BOIZOT

Château de la Roche-Guyon  : aberto das 10h às 18h (19h nos finais de semana e feriados) – entrada 7 € 80 (4 € 80 para jovens e estudantes)

 Rouen

A capital normanda fica a 1h de carro de Giverny e é uma maravilha para descobrir a pé. Seu centro histórico está cheio de bonitas casas normandas com enxaimel colorido. A Catedral de Rouen, pintada por Claude Monet, certamente o atrairá tanto quanto o pintor. É também a cidade de Joana d’Arc, a quem muitos tributos estão espalhados pela cidade. O Relógio Astronômico também é uma belezura.

Relógio Astronômico de Rouen

Como chegar em giverny

A pequena e encantadora cidade se encontra a 75km de Paris e a 70 km a leste de Rouen. Tem opções de deslocamento fáceis para chegar e aproveitar o dia. Demora 1 hora de carro de Paris e 1 hora de Rouen.

Giverny Vernon


Opção 1 – Trem + Onibus

A forma mais fácil de chegar a Giverny desde Paris consistem em duas etapas, a primeira de trem de Paris a Vernon e a segunda de ônibus de Vernon até Giverny. A viagem de trem até Vernon parte da estação Saint-Lazare e leva entre 45 e 50 minutos. Você irá utilizar a linha Paris-Vernon em um trem “Intercités”.

estação de Vernon

c


NÃO PERCA TEMPO >> GIVERNY & JARDINS DE MONET DE TREM


A passagem custa cerca de €15 em cada sentido. Os lugares não são marcados. Os trens partem de duas em duas horas com início entre às 7h20 e 8h20 dependendo do dia. É possível comprar as passagens de trem antecipadamente. Antes de subir no trem, não esqueça de validar (em francês “composter”) o seu bilhete. Você irá validar nas maquinas amarelas que se encontram no início das plataformas. Caso você não valide sua passagem e for abordado por um fiscal a bordo, sera cobrada uma multa. Vale lembrar que as passagens eletrônicas emitidas pela internet não precisam ser validadas.

Foto Shutterstock | De Alexandros Michailidis

A segunda etapa da viagem será de ônibus. Ao sair da estação de Vernon, existem várias placas e indicações no piso que indicam onde estão localizados os ônibus que vão direto a Giverny. Por ser uma rota muito procurada, estes ônibus fazem exclusivamente este serviço e seus horários são alinhados com a chegada dos trens de Paris. O valor da passagem é de €8 ida e volta e pode ser comprada diretamente com os motoristas ao embarcar, em dinheiro ou no cartão de credito. O tempo de viagem é de 15 minutos de Vernon a Giverny e os ônibus oferecem wifi.

>> Ver horários do ônibus

Opção 2 – de Carro

Se você estiver interessado em mais comodidade e a oportunidade de explorar as cidadezinhas vizinhas sem se preocupar com o horário, a opção de visitar Giverny com um carro é a mais viável. O caminho saindo de Paris pela autopista A3 e A4 é bem tranquilo e possui apenas um pedágio no percurso. Em frente a entrada dos jardins de Monet e em frente a Fundação Monet, o estacionamento é grátis e o movimento é bem tranquilo.

Bom passeio à giverny e jardins de monet!!


FILAS? NUNCA MAIS! INGRESSOS PARA SUA COMODIDADE


  • Reserve seu hotel em Paris & no Mundo no Booking.com (sem taxa de reserva e a maioria dos hotéis oferece cancelamento grátis)
  • Compre seu Seguro Viagem na Real Seguros (faz cotação em 10 ótimas seguradoras)
  • Compre seus Ingressos para atrações e passeios em Paris e na Europa com a Get Your Guide

Se você fizer sua reserva através dos links aqui do Vou pra Paris, eu ganho uma comissão, mas você não paga nada a mais por isso. Essa é uma forma de apoiar o Vou pra Paris a continuar escrevendo ótimas dicas de Paris para você. Obrigada!

;

;

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Assine o Vou Pra Paris
Receba todas as novidades do Vou pra Paris direto no seu email.
Você pode cancelar quando quiser

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

Privacy & Cookies Policy